Segurança pública: nó difícil, mas que pode ser desatado

Imagem

Colo abaixo o meu próprio comentário sobre a matéria escrita por Zé Dirceu sob o título “Segurança pública: nó difícil, mas que pode ser desatado”. A matéria foi publicada ontem, 06-Jul-2012.

http://www.zedirceu.com.br//index.php?option=com_content&task=view&id=15741&Itemid=2&mosmsg=Seu+coment%E1rio+foi+salvo+e+ser%E1+publicado+ap%F3s+media%E7%E3o,

Meu comentário (A mídia prostituída e a insegurança pública):

No Brasil, o maior número de prisões acontece por roubo e furto e não por crimes contra a vida.
O problema da ladroagem é fruto da propaganda insana praticada pela mídia sensacionalista e prostituída, que induz o público a crer que para se ter valor na sociedade e/ou ser feliz tem-se que possuir os produtos anunciados na mídia prostituída. Para piorar, a mídia prostituída usa o sensacionalismo da violência para atrair consumidores, sem o menor compromisso com a informação saudável. Assim, quem tem dinheiro compra os produtos supérfluos, e quem não tem, rouba. Ao final, quanto mais se rouba, mais o capitalista concentrador de renda vende para quem tem dinheiro.

Minha conclusão é de que o maior câncer do mundo capitalista é a mídia prostituída pelo mercado.

A mídia não pode ser submissa ao mercado, e sim gerida pelas 3 esferas dos 3 poderes legalmente constituídos, e com mecanismos de controle social.

Para reforçar, pergunto:

1) Como pode a mídia prostituída ser o 4º poder de uma república, sem que ela seja votada e nem sequer regulamentada?

2) Como se pode falar em “imprensa livre”, se os donos da mídia prostituída são seus sensores permanentes, são locupletados por seus anunciantes concentradores de renda, escolhem seus editores, seus diretores, toda a sua programação, escolhem o que e como abordar, exibem tudo como querem, quando querem e quantas vezes querem, sem o menor controle social?

Veja a matéria do Zé Dirceu no http://www.zedirceu.com.br

Anúncios